quarta-feira, 1 de julho de 2015

DINÂMICA PARA REUNIÃO DOS PAIS


Dinâmica para reunião de pais!

Objetivo: fazer com que os pais reflitam sobre a dificuldade do professor com relação ao número de alunos e expectativas dos familiares, dando a importância ao trabalho coletivo entre família e escola.

Materiais utilizados: uma revista velha.

Desenvolvimento:
1-) Entregar para cada responsável uma folha de revista, para que amassem formando uma bolinha;
2-) Seguindo uma ordem (por fileira, por exemplo), pedir que cada um fale sua expectativa com relação ao seu filho na escola e logo após passe a bolinha para o seguinte, que deverá juntar com a sua, formando uma única bola (enquanto isso, a professora pode anotar o que é dito na lousa);
3-) Fazendo assim sucessivamente, quando todos tiverem dito suas expectativas e juntado a sua bola, a professora será a última a pegá-la.
4-) Com a bola em mãos, a professora deve fazer uma reflexão, levando à discussão sobre a grande responsabilidade da escola que, diferente dos pais, que iniciaram a dinâmica cada um com uma bolinha, a professora tem todas elas juntas, representando não somente os alunos, mas também as expectativas dos pais, precisando assim da ajuda de todos para realizar um bom trabalho.



DEFICIÊNCIAS
Mário Quintana

"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.
"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
"Diabético" é quem não consegue ser doce.
"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
"Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.
"A amizade é um amor que nunca morre."


terça-feira, 30 de junho de 2015

 PLANO DE AULA SOBRE AS FESTAS  JUNINAS

Conte que antigos ritos pagãos originaram as festas juninas
Publicado por 
Descrição: http://www.gentequeeduca.org.br/sites/default/files/styles/155x155/public/veja-na-sala-de-aula-2013.gif?itok=wdnag-Os
Objetivo(s) 
·         Entender como se originaram as tradições juninas brasileiras
Ano(s) 
Material necessário 
Reportagem de Veja
·         A quadrilha-espetáculo

Desenvolvimento 
1ª etapa 
Introdução
Três efemérides com toques religiosos, pitadas de folclore e elementos festivos - como canto, dança e guloseimas típicas - agitam o Brasil de norte a sul neste período. São as festas juninas, manifestações populares em que não pode faltar a quadrilha. Segundo VEJA, esse espetáculo vem se despindo da indumentária simples para entrar na era do luxo. As garotas da classe provavelmente já usaram vestidos de chita em algum arraial, a fim de impressionar meninos devidamente caracterizados com chapéus de palha e roupas remendadas. Investigue as origens pagãs dos folguedos de Santo Antônio, São João e São Pedro. E questione os papéis que o sagrado e o profano desempenham nesse contexto.

Faça um levantamento do que os jovens sabem sobre os festejos juninos. Provavelmente eles têm claro que a tradição de homenagear os três santos católicos foi trazida para o Brasil pelos colonizadores portugueses. Mas será que todo o simbolismo ligado às datas tem fundo religioso? Qual o significado de acender fogueiras e fazer adivinhações? E as comidas, são as mesmas em todos as regiões do Brasil? As danças e os trajes também se repetem? Que santos merecem, em outras datas, homenagens semelhantes?

Conte que em 21 de junho - três dias antes do aniversário de nascimento de São João Batista - começa o verão no hemisfério norte. Esse dia é o mais longo do ano na metade do globo localizada acima da linha do equador. Esse fenômeno, conhecido como solstício de verão, era comemorado por povos ancestrais muito antes do surgimento das divindades cristãs. Rituais ligados à fertilidade do solo e à fartura das colheitas marcavam o evento. Nessas celebrações, acendiam-se fogueiras com o intuito de livrar as plantações dos maus espíritos. No século IV, a Igreja Católica adaptou esses costumes e passou a homenagear São João na Espanha, na França, na Itália e em Portugal. No século XIII, o dia 13 de junho passou a ser dedicado a Santo Antônio e o dia 29, a São Pedro. Trazido para o Brasil, o culto aos santos incorporou a dança.

Informe que a quadrilha é uma invenção inglesa do século XIII, aperfeiçoada pelos franceses e introduzida no Brasil pela corte de dom João VI nos anos 1800. Fale também sobre as adivinhações e simpatias, previsões sentimentais levadas a cabo por moçoilas e rapazes em bananeiras, bacias e até nas imagens dos santos. Na canção Brincadeira na Fogueira, de Antônio Barros, por exemplo, um pretendente ao casório narra, desolado, as próprias desventuras:
Danei a faca
No tronco da bananeira
Não gostei da brincadeira
Santo Antônio enganou.
Saí correndo
Lá pra beira da fogueira
Ver meu rosto na bacia
A água se derramou.
A turma já se aventurou nessas práticas ou considera tudo mero folclore? Ouça as opiniões e ressalte que muito pouco do caráter religioso sobrevive nas festas juninas. VEJA mostra que em alguns Estados nordestinos as quadrilhas, nessa troca de roupas caipiras por roupas sofisticadas, viraram coreografia para turista ver. Lembre que em muitos rincões, no entanto, a dança ainda funciona como fator de união da comunidade e as apresentações se prestam, também, para arrecadar fundos para instituições beneficentes. Ensine que no passado as comemorações ocorriam exclusivamente no meio rural e os devotos rezavam novenas, faziam procissões e pagavam promessas - além de dançar, cantar e agradecer aos céus pela bênção das boas colheitas. Nesse sentido, o evento ficou associado, no imaginário geral do brasileiro, ao caipira, habitante do interior paulista e de parte de Minas Gerais e Goiás. Essa figura é retratada na ficção literária por Jeca Tatu, personagem de Monteiro Lobato imortalizado no cinema por Mazzaropi. Discuta com a turma o texto do quadro abaixo, sobre o arraial organizado pelo presidente Lula para celebrar suas bodas de pérola.
2ª etapa 
Atividades
Sugira que os alunos investiguem alguns aspectos das quadrilhas-espetáculo descritas por VEJA. Quem financia esses eventos e quem forma o corpo de jurados? As festas juninas luxuosas se aproximam do Carnaval carioca no que diz respeito à presença do Estado como organizador? Até que ponto são conservadas a autonomia, a espontaneidade e a capacidade de transformação desses arraiais? Qual o futuro das quadrilhas? Ficarão cada vez mais sofisticadas ou sempre haverá espaço para as representações mais autênticas?
Para saber mais
Arrasta-pé no Torto
Dia 15 de junho, o presidente Lula organizou, na Granja do Torto, em Brasília, uma festa caipira para marcar os 30 anos de casamento com a primeira-dama, Marisa Letícia. O casal chegou ao arrasta-pé num carro de boi repleto de paçoca e cachaça. A "noiva", no lugar do tradicional buquê, carregava nas mãos um repolho. Uma vez celebrado o casório, houve uma procissão em honra aos santos juninos. Uma queima de fogos encerrou a liturgia. Então, os convidados (todos com a fantasia obrigatória) degustaram os quitutes trazidos por eles mesmos a pedido do presidente, pularam fogueira e dançaram uma quadrilha. Lula comandou a dança, animada por um sanfoneiro. A colunista Danuza Leão escreveu no jornal Folha de S.Paulo que o acontecimento não poderia ter sido pior, pois inspirou-se no folclore do atraso e da jequice explícita. Em contrapartida, VEJA afirmou - na edição de 23 de junho - que é melhor ter Lula vestido de caipira do que um presidente elegante com idéias de Jeca Tatu. Solicite comentários dos estudantes.

Veja também:
Bibliografia
·         A Invenção das Tradições, Eric Hobsbawm e Terence Ranger, Ed. Paz e Terra, tel. (11) 3337-8399
·         Dicionário de Folclore, Luís Câmara Cascudo, Ed. Global, tel (11) 3277-7999

Créditos: 
Patrícia Raffaini
Professora de História da Universidade Anhembi-Morumbi, de São Paulo
SE DESEJAR, NESSE BLOG TEM UMA PUBLICAÇÃO DE JUNHO DE 2011 SOBRE FESTAS JUNINAS E SEUS SÍMBOLOS.



quarta-feira, 3 de junho de 2015

ATIVIDADES ADAPATADAS

Mais atividades adaptadas










ATIVIDADES ADAPTADAS

Olá, professores.
A nossa colega Liduína me enviou algumas atividades adaptadas, boas para trabalharmos com os aluno que tem algum tipo de deficiência.São atividades que ela trabalha no AEE (sala de recursos) e que podemos utilizar em nossas aulas com esses alunos na escola normal.
confiram:











segunda-feira, 25 de maio de 2015

TRABALHANDO COM SUBSTANTIVOS

A  partir do Texto circuito fechado de Ricardo Ramos, pedi para que meus alunos do 8ª ano escolhessem um tema e  produzissem um texto no mesmo estilo.
5 alunos escreveram textos interessantes. Foram estes: Magnos Ariel, Jerberson  Moura, Lucas Vinícius ,Hadiel  Bruno e Rebeca  Roster.
Confiram o resultado:

OS CONTOS  E O SUBSTANTIVO. (Rebeca Roster)
 Página, lápis,, caneta,  contos, fantasia. Vampiros, neve, escuridão. Romeu, Julieta,morte.Espadas,pistola,balas,multidão.Lua,estrelas,solidão.Lágrimas,pureza,inocência.saudade,passado,nova era,lobos,calor,verão,Baile,beijo,amor.sapato,cristal,meia-noite.Bruxa,convite,maldição,roca,agulha,sono profundo.Torre,cabelos,solidão,.Príncipe,fuga,felicidade.Madeira,mentira,menino, fada, azul, cura, menino, humano. Vampiros, sangue, transição, Londres, segunda  estrela ,Terra do nunca. fadas, sereias, piratas. Tesouros, crianças, nunca, envelhecer, .Branca, neve, maçã, veneno. Beijo, amor verdadeiro, irmãs, magia,gelo,aranha,picada,herói,princesa,,plebeia,amigos,fama,música,popstar.Capa,, vermelha, atalho, casa, avó, lodo, caçador .Três , porquinhos ,lobo, perigo.  Cem colchões, uma ervilha, princesa, urso, coelho, burro, tigre, bosque, cem acres. Vaca,  venda, feijões, magia, gigante. Alice, toca, coelho branco, chapeleiro, rainha vermelha, País, maravilhas, escuro, sono, fim.


 O QUE É, O QUE É ? (Hadiel Bruno)
Jango, militares, golpe, passeata, movimento estudantil, protesto, prisões, tortura, censura, cálice, morte. Cem Mil. Revolução, comunismo, tortura, ameaças, eleições, morte. desaparecidos,  desamor, tortura. Luta, Diretas já, Pau de arara, choque elétrico, cadeira do dragão. Tortura, chumbo, manifestantes, Costa e Silva, protesto.  Mortes. Vladimir Wezorg, assassino. Ditadura, sofrimento. Governo, passeata, consumismo, cuba,festival,torturas,Chumbo,tiros,balas,estudantes,policiais.Morte.Decreto,AI-5. Canções, artistas,censura,exilados,teatro,TV,música,lágrimas,sangue,replubica, repressão, jornais, revistas, livros, censura.Militares,Brasil,povo,ruas,população,contra-golpe,1964.Brasil.queda,militares,governo,presidente,anastia,diretas Já. Liberdade,  conquista, democracia...

 VIDA DE  AGRICULTOR (Lucas Vinícius)
A bota, a pia, o creme dental, a torneira, a água.
O leite, a vaca. O café, a bolacha.
A vaca, o cercado, o boi, a capinadeira.
A planta, a irrigação, a agulha fina, o buraco, a mangueira,
 A aranha, a forrageira, o farelo, a palha  de milho,
 O cavalo, o boi, a vaca, a ovelha
 O milho, o guiné, a galinha, a casa,
 A acerola, o suco, o almoço, o cochilo.
A bota, a calça, a camisa, o cavalo, a serra.
A casa, a água, o banho, a televisão, o lençol, o travesseiro, o sono.

COPA DO MUNDO (Jerbson Moura)
O juiz, o apito, o jogador, a bola, o toque, o toque, a velocidade, o drible, a falta, o chute, a isolada, o  goleiro, o bolão, a cabeçada, o jogador, o toque, o drible, a falta, o chute, o goleiro,, a defesa, a saída, o escanteio, o zagueiro, a cabeçada, o toque, o toque, o chutão, a saída, o lateral, o toque, o olé, a vaia, o  acréscimo,, o relógio, o juiz, o apito, o final. 2º tempo, o toque, o toque, o lançamento, a dominada, o chute, o gol, o grito, 1 x 0.
O toque, o toque, a torcida, a carreira, o toque, o chute, a isolada, o chute, o gol, 1 x 1,o apito, o fim. Prorrogação, A adrenalina, o pênalti, a concentração, o chute, o gol, 2 x 1. O chute, a isolada, o chute, o gol, 2 x 2. Chute, gol, 3 x 2. O chute, o toque, o drible, o chute, o gol, 3 x 3. O chute, o gol, o grito, 4x 3. O chute, o gol, 5 x 3,o apito, o hexa, o alívio, a comemoração.

FÉRIAS  NA PRAIA (Magno Ariel)
Malas, discussões, emoção, alegria. Trânsito, impaciência, demora, pressa, discussões. Chegada, ansiedade, felicidade, fome. Refeição, reanimação, noite, conversas, diversão, sono, frio. Alvorecer, pressa, escova, creme dental, descarga, café, filtro solar, correria, horizonte, mar, ondas, água, sal, banho, nado, surfe, futebol. Belezas, peixes, estrelas do mar, siris, conchas, pedras, barcos, sol. Retorno, almoço, conversas, histórias, risadas, brincadeiras, jogos. Entardecer, jantar ,vento, cochilo, ...Despedida, desânimo, malas, partida, tristeza. Trânsito, demora, retorno, volta, rotina, saudades.











segunda-feira, 4 de maio de 2015

DIA DAS MÃES

Olá   pessoal.
Essa semana iniciará a maratona do Dia das Mães.
aí vai algumas sugestões de Lembrancinhas pra vocês trabalharem com os alunos

CARTÃO PARA A MAMÃE



 QUADRO- PARA FAZER VOCÊ VAI PRECISAR DE:  MOLDURA , GARFO, FACA, COLHER,SPRAY E TECIDO.

  FLORES FEITAS DE  CÍRCULOS EM CARTOLINAS. FAÇA UM CÍRCULO MAIOR E OUTRO UM POUCO MENOR.COLE UM SOBRE O OUTRO, DEPOIS DOBRE.



 TULIPA COM LIXA DE UNHAS



 VASO DE FLORES.AS FLORES SÃO SOBREPOSTAS.



ÁRVORE PARA MAMÃE PENDURAR SUAS JÓIAS(BIJUTERIAS)
 CHALEIRA.ESSA CHALEIRA É DUPLA FORMANDO UM BOLSINHO, COLA O SACHÊ DE CHÁ NA TAMPA E QUANDO TIRAR A TAMPA O SACHÊ VEM JUNTO.
Fonte:BlogCantinhoalternativo

quarta-feira, 25 de março de 2015

LEMBRANCINHA PÁSCOA

Vejam esse marcador de livro para a páscoa com o cordeiro como símbolo.

 No marcador:Modelo de lembrancinha para páscoa  vocês vão encontrar o modelo de uma linda lancheira com o cordeiro da Páscoa.

terça-feira, 24 de março de 2015

A OVELHINHA LAMBI-UMA HISTÓRIA DE LIBERDADE

Figura 1

Josué era um menino Israelita, morava no Egito com a sua família como escravo. Todo Israel esperava a libertação vinda do Senhor.
Ele sentava na calçada esperando o pai voltar para brincar, mas quando via ele chegar cansado sabia que de novo não brincaria. Mas ele se consolava com o seu cordeirinho Lambi, seu grande amigo. Josué só tinha Lambi.

Figura 2

Chegando à noite o pai disse para a família
-Fiquei sabendo que Moises vai falar com Faraó, ele vai pedir para que Faraó deixe Israel ir adorar a Deus.
Toda a família recebeu a noticia com medo, pois sabiam que Faraó era um senhor terrível e dificilmente os libertaria.

Figura 3

Depois dessa conversa, enquanto Josué ajudava sua mãe com a louça, começou a pensar o que esperaria por ele daí alguns anos. Josué era o primogênito da família, ou seja, o primeiro filho, e logo deveria trabalhar duro como escravo. Isso o entristecia muito.

Figura 4

Passados uns dias Moises convocou os homens Israelitas, e disse que essa seria a noite da libertação, e que todas as famílias de Israel deveriam seguir as instruções que Deus dera.
Os homens ficaram muito felizes e se dispuseram obedecer a Palavra de Deus.

Figura 5

De noite, Josué viu seu pai com um certo nervosismo, e ainda por cima de faca na mão saindo de casa. Josué decidiu segui-lo. E para sua surpresa, viu que seu pai estava indo direto para o curral pegar Lambi, seu cordeirinho.
Josué deu um grito de desespero.
– Não pai!!! esse é o meu cordeirinho!!! ele é meu amigo!!! O que o Senhor vai fazer com ele?
-Meu filho, esse é o melhor cordeirinho que nós temos para ser oferecido em sacrifício; ele não tem nenhum defeito. Deve ser este. Sinto muito meu filho.

Figura 6

O pai não duvidou nem por um momento, e matou Lambi.
-Por quê papai? Por que o senhor fez isso? – perguntava Josué para seu pai.
-Meu filho, o cordeiro morreu para salvar a sua vida e a nossa.
Josué não estava entendendo nada do que seu pai falava.

Figura 7

Então o pai pegou o sangue do cordeiro e passou no umbral da porta da casa. E falou:
-A morte passará esta noite pelas casas do Egito, mas não entrará onde estiver passado o sangue do cordeiro.

Figura 8

Cada pai das famílias Israelitas fez a mesma coisa naquela noite. E todos comeram a PASCOA, o cordeirinho sacrificado. Todos estavam vestidos e preparados para sair de viagem.
Enquanto isso, a família orava ao Senhor; e Josué pensava em todos os fatos ocorridos.
-Lambi, você foi morto por mim? Será que seu sangue vai me salvar de verdade da morte e me trazer liberdade?

Figura 9

Mas, a meia noite, do jeito que Deus tinha falado pelo seu servo Moisés, a morte passou por sobre todos os primogênitos do Egito. Pessoas e animais. Em cada casa podia-se ouvir lamentos e prantos.
-Porque aconteceu isso com a gente? Porque os nossos deuses não impediram esta mortandade? – era o clamor dos egípcios.

Figura 10

Mas entre o povo de Israel tudo era muito diferente. Deus tinha guardado em paz e dado muita alegria a todos. O sangue do cordeiro tinha salvado os primogênitos. Todos estavam muito agradecidos a Deus.

Figura 11

Desesperado Faraó chamou Moisés e tomou por fim a grande decisão de deixar o povo de Israel ir e servir ao Senhor Deus.
-Vão de uma vez! Agora! Vão e sirvam ao seu Deus! –disse Faraó muito irado.

Figura 12

Todos os egípcios fizeram a mesma coisa, eles entregaram seus bens, roupas, gado, ouro, jóias, tecidos para os Israelitas. Os Egípcios ficaram com muito temor e deram a liberdade a todos os escravos. Agora eles eram livres, e já estavam prontinhos para sair. Tudo tinha acontecido como Deus tinha falado ao seu servo Moises.

Figura 13

Josué e todo o povo entenderam que graças à morte do cordeiro, eles tinham sido salvos e livres da opressão e do jugo de Faraó. Essa foi a primeira páscoa.
-Querido Lambi, nunca esquecerei que a sua morte me deu a vida!! –falou agradecido Josué.
Aplicação:
Esta é a historia da primeira páscoa. Os israelitas tiveram que derramar o sangue do cordeiro nas ombreiras e vergas das portas. Naquela noite, o primogênito de cada casa seria morto onde não houvesse sangue.
Vejamos João 1:29 Quem foi chamado de Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo?
Sim, Jesus! O sangue de Cristo foi derramado na cruz pelos nossos pecados. Nós éramos escravos do pecado destinados à morte. Mas, o Senhor Jesus Cristo morreu por todos, e derramou o Seu sangue por todos os pecadores, para que sejamos livres da morte, assim como os israelitas.
Porque Jesus é chamado de “Jesus a nossa Páscoa”? Porque assim como Lambi, ele morreu para que possamos viver!
Que poder tem o sangue de Jesus? 1 João 1:7
Assim como os Israelitas, para sermos salvos devemos crer que o sangue de Jesus, nosso cordeiro, é capaz de nos limpar de toda condenação e pecado. E depois de termos fé, depois de termos crido, devemos confessá-lo como nosso Senhor.
Certamente éramos escravos do pecado, mas fomos libertos da escravidão para vivermos uma nova vida. Cristo é quem nos liberta da escravidão do pecado.
A páscoa então era aquela ceia dos Israelitas antes da libertação. Jesus depois instituiu a nova páscoa. Nós celebramos a ceia que relembra Cristo, o nosso cordeiro pascal. Jesus é a nossa páscoa. E o mais maravilhoso é que Jesus não permaneceu morto, mas ao terceiro dia ressuscitou dentre os mortos! Ele está vivo e quer morar no seu coração.
E você amiguinho, quer receber Jesus, o cordeiro, no seu coração? Você quer entregar a sua vida a Jesus e passar em sua vida o Seu sangue que purifica e limpa de todo pecado? Você quer se alegrar nesta páscoa recebendo a liberdade e a salvação da morte?
VISUAIS

sábado, 21 de março de 2015

MAIS ATIVIDADES PARA A PÁSCOA











SUGESTÃO: Na atividade da cruz pode colar pó de serraria ou as raspas(aparas)do lápis.Na atividade do cordeirinho pode-se colar algodão.














.

Fonte:Algumas atividades foram retiradas doblogideiacriativa ,blogespaçoeducar eblogamiguinhosdorei jesus.